“old habits die hard”
“When God made the first clay model of a human being, He painted in the eyes… the lips… and the sex. And then He painted in each person’s name lest the person should ever forget it. If God approved of His creation, He brought the painted clay model into life by signing His own name.”
Trata-me como as páginas de um livro devora-me do início ao fim. passe seus dedos ao longo do meu corpo. sentir o toque provocar arrepios. nesse momento não existem pieguices. apenas o prazer. entregue-se a ele como eu.

Trata-me como as páginas de um livro

devora-me do início ao fim. passe seus dedos ao longo do meu corpo. sentir o toque provocar arrepios. nesse momento não existem pieguices. apenas o prazer. entregue-se a ele como eu.

lub fashion http://lookbook.nu/

lub fashion

(via rodiziodelinguicasnobres, picofthegay)
“Gostar é provavelmente a melhor maneira de ter, ter deve ser a pior maneira de gostar”
“I disregard the proportions, the measures, the tempo of the ordinary world. I refuse to live in the ordinary world as ordinary women. To enter ordinary relationships. I want ecstasy. I am a neurotic — in the sense that I live in my world. I will not adjust myself to the world. I am adjusted to myself.”
je ne regret rien sei que esse assunto é frequente aos libertinos e as escritores. todo mundo já leu ou boa parte dos escritores em algum momento já o fez. literatura erótica nessa época chega a ser banal? bom o fato é que parte do que pretendo escrever não é inspiração, aconteceu comigo, mas como uma escritora de praxe não tenho compromisso com a verdade. tenho apenas com a MINHA verdade e é isso que importa. não peço que goste de mim, muito menos acredite no que vou aqui relatar. parte desses relatos advêm de sonhos, desejos, imaginação fértil e fatos consumados. mas o que me importa o que você pensa? eu nem me importo quem ficará entre mis piernas….

je ne regret rien

sei que esse assunto é frequente aos libertinos e as escritores. todo mundo já leu ou boa parte dos escritores em algum momento já o fez. literatura erótica nessa época chega a ser banal? bom o fato é que parte do que pretendo escrever não é inspiração, aconteceu comigo, mas como uma escritora de praxe não tenho compromisso com a verdade. tenho apenas com a MINHA verdade e é isso que importa. não peço que goste de mim, muito menos acredite no que vou aqui relatar. parte desses relatos advêm de sonhos, desejos, imaginação fértil e fatos consumados. mas o que me importa o que você pensa? eu nem me importo quem ficará entre mis piernas….